terça-feira, 16 de dezembro de 2008

A Imaculada Conceição de Maria no ser Concepcionista

“Todo meu ser como Maria, para fazer a vontade do Senhor.”


Caminhando em pleno Advento na espera ansiosa do nascimento do Filho de Deus, nosso modelo e guia neste itinerário espiritual é Maria, aquela que é muito mais bem-aventurada porque acreditou em Cristo e porque o gerou fisicamente (cf. Santo Agostinho). Nela, preservada imaculada de qualquer pecado e repleta de graça, Deus encontrou a "terra fértil", na qual depositou a semente da nova humanidade. Sua grandeza brilha no fato de ela ter correspondido decisivamente ao projeto de Deus: faça-se em mim segundo a tua vontade. Corresponder à convovação de Deus, não significa que ela tenha compreendido o alcance desta convocação já na primeira hora. A compreensão da abrangência de tal interpelação certamente foi resultado de um longo processo de reflexão, de meditação: ela conservava todas estas coisas no seu coração. A ladainha de Nossa Senhora conserva este jeito de ser de Maria quando canta: Virgem fiel, rogai por nós! A fidelidade conduz à reflexão e à meditação do que lhe era pedido; a reflexão e a meditação sobre aquilo que lhe era pedido requeria dela a fidelidade! Na encíclica sobre a Eucaristia e a Igreja, o Papa tem um capítulo sobre Maria, a "mulher eucarística" (cap. IV): nele João Paulo II apresenta uma analogia muito interessante entre o "sim" de Maria e aquilo que a Igreja é convidada a fazer, quando Jesus diz aos apóstolos na última ceia: "fazei isto em memória de mim" (cf. Lc 22,19). Assim como Maria deu o seu "sim" a Deus, acolhendo no seu seio o Verbo Eterno no mistério da encarnação e unindo toda a sua vida à de Jesus, também a Igreja é convidada a fazer, acolhendo o Evangelho e colocando-se inteiramente ao serviço do reino de Deus e dos "mistérios da salvação", que Jesus continua a realizar no mundo através da vida e da ação da Igreja. Mais uma vez: "na escola de Maria" aprendemos a celebrar bem a Eucaristia, a ter uma verdadeira "atitude eucarística", a unir nossa vida à do Salvador e a sermos fiéis discípulos de nosso Mestre e Senhor. Como concepcionistas tais afirmações adquirem um acento maior, pois o Evangelho, a Eucaristia e Maria constituem a essência e o ser da Ordem da Imaculada Conceição (CCGG 13;16,2).
Maria, um exemplo de santidade a ser seguido. Ser como Maria é escutar a Deus, e procurar discernir qual a vontade e o plano do Pai para a nossa vida.. É ser uma pessoa de oração, de profunda intimidade com Deus. É diariamente, se alimentar da Palavra e da Eucaristia, caminhar com Deus, e o vê nos acontecimentos do dia-a-dia.
Maria acompanha a dedicação de cada concepcionista que, sob a inspiração do ideal de vida proposto por Santa Beatriz da Silva, se lança na tarefa de gerar Cristo – Vida, Verdade, Luz, Caminho, Pão – para o mundo. Maria não só acompanha cada irmã, ela se “encarna” em cada irmã! Precisamos merecer tamanha graça, tamanha nobreza! Portanto, nos empenhemos para, nos desafios e alegrias do cotidiano, correspondermos à graça recebida! “Somos as guardiãs e as responsáveis pela conservação do ideal de vida concebido por Santa Beatriz”. Caminhemos firmes, sem temor e medo pois lá adiante a Estrela da manhã está pronta para acolher o Sol da justiça que desponta!
Ajude-nos a Virgem Imaculada, a preparar bem "o caminho do Senhor" em nós próprios e no mundo. Que nosso ser gere a Luz Nova que vem para nos libertar e instaurar o Reino novo na Terra.

Feliz natal do Menino Jesus junto a Mãe Imaculada!
Ordem da Imaculada Conceição - Monjas Concepcionistas - Ave Maria Puríssima!
O Mosteiro Monte Sião da Imaculada Conceição foi fundado em 25 de março de 1988 na cidade de Jataí/ GO. Este mosteiro é um dos 19 existentes no Brasil, da Ordem da Imaculada Conceição, cuja fundadora da Ordem é Santa Beatriz da Silva.
e-mail:falemosteiro@yahoo.com.br